Sabia que o nosso corpo nos pede para comer aquilo que precisamos?

DestaqueDicas

Pois é, é mesmo verdade. No fundo, quando o nosso organismo tem alguma carência, impulsiona-nos para comer alimentos que sejam ricos nessa substância. Por exemplo, quando temos a glicose (açúcar) no sangue demasiadamente baixa, temos tendência para comer alimentos ricos em açúcar de rápida absorção. Estas diminuições de açúcar ocorrem quando passamos muitas horas sem comer e é por essa razão que quando estamos em jejum há muitas horas acabamos por ingerir alimentos que nos disponibilizem açúcar rapidamente como os bolos, o pão, as bolachas ou os sumos açucarados.

Curiosamente, isso acontece com outras substâncias também. Quando existe défice de serotonina (uma substância que promove transmissões entre os neurónios-células cerebrais), também temos tendência para comer ais alimentos ricos em triptofano (um aminoácido que leva à produção de serotonina), tais como frutos secos, carnes de aves e açúcares, porque estes últimos, apesar de não conterem grande quantidade de triptofano, parecem facilitar a produção de serotonina.

Outro bom exemplo de como o nosso corpo nos pede o que precisa são os desejos nas grávidas. Na maioria das vezes, os alimentos desejados são ricos em determinados elementos, que naquele momento da gravidez são essenciais ao desenvolvimento do bebé.

Caso perceba que constantemente lhe apetece determinados alimentos, sem ter fome, é importante avaliar a situação, e analisar se eventualmente tem carência de algum constituinte importante para o seu organismo que o faz comer para lá da sua fome. Através de uma análise ao seu sangue e à urina é possível determinar se existe, ou não, essa deficiência.